sábado, 27 de novembro de 2010

Alterego II: Besta

        Em uma reflexão e depois de ter ouvido isso algumas vezes eu cheguei a uma conclusão (talvez, em parte, quase uma decisão): eu sou besta.
        Eu sou besta em minhas doces e inocentes ilusões, sou besta quando me reprimo por mera timidez. Sou besta quando qualquer elogio me desarma e me desconcerta completamente, sou besta quando me sinto ruborizar por causa de uma exposição qualquer. Sou besta em minhas piadas e brincadeiras, sou besta quando evito cortar o cabelo ou titar foto 3x4. Sou besta quando tenho medo. Principalmente esse medo besta de fazer besteira. Em minha mente eu vôo com besteiras e bobagens e com isso eu, besta que sou, me divirto em minhas viagens.
        Na aula agora escrevo essa besteira e , de repente, o professor fala: "para calcular o torque eu, que não sou besta [mentira. Ele é completamente abestalhado], coloco o eixo aqui". Levantei a cabeça e olhei-o. Ele me olhou de volta. Sorri. Ele não entendeu. "Deve ter achado que eu sou veado", pensei eu abestalhado.

;)

Um comentário: