sexta-feira, 27 de maio de 2011

Foda-se o texto mal escrito. Vale mais a ideia

Sinceramente, é de uma tremenda covardia o Ministério Público da Bahia proibir a marcha na véspera data para qual essa estava marcada já a muito tempo, não dando espaço para a discussão e debate sobre o assunto.
O MP-BA demonstra a mesma truculência com a qual agiu ano passado ao agir da mesma forma. Não é coincidência. 
Acreditem. Um dia nós ainda vamos mudar a forma como se tomam as decisões nesse país. Um dia ainda terão que enfrentar a coragem e a convicção da sociedade brasileira lutando pelo que acredita ser correto. E acredite, não vai haver burocracia que impeça que a justiça finalmente seja feita e nossos direitos finalmente respeitados.
O MP não representa a sociedade baiana de forma alguma. Os hospitais públicos, a educação, a cidade de Salvador parecem ser temas menos importantes do que a proibição Marcha, direito que me foi concedido na constituição de 1988, a Constituição Cidadã pela qual tantos deram suas vidas. É essa mesma constituição que hoje foi desrespeitada mais uma vez.
Penso: se estivéssemos a 30 ou 40 anos atrás, será que a atitude seria diferente? Será quês as pessoas que dirigem o Estado e me representam e por mim lutam, eleitas ou não, seriam diferentes? Como um órgão pode lutar por mim se ele não me escuta e, inclusive, me força a calar a boca? As respostas a que chego não me animam. Penso no poeta baiano Gregório de Matos que teve sua Boca do Inferno calada, isolada. Penso em outro poeta, Caetano, que com a mesma Boca também estes versos cantou e que também foi calado e me surpreendo como estes versos continuam sendo tão atuais e verdadeiros.

“Triste Bahia...”
                    Gregório de Matos, Caetano Veloso, Gustavo Lima O’Dwyer e toda a Sociedade Baiana

Nenhum comentário:

Postar um comentário