segunda-feira, 2 de julho de 2012

O Poema (visceral)

Travado na garganta me enjoa
A alma já não cabe no corpo
A poesia rasga a carne

Vomito

Coloco minhas vísceras pra fora

Nenhum comentário:

Postar um comentário